UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO

PROGRAMA DE COMPONENTE CURRICULAR

   TIPO DE COMPONENTE (Marque um X na opção)

  Disciplina
  Atividade complementar
  Monografia
X Prática de Ensino
  Módulo
  Trabalho de Graduação

   STATUS DO COMPONENTE (Marque um X na opção)

X OBRIGATÓRIO   ELETIVO   OPTATIVO

DADOS DO COMPONENTE

Código Nome Carga Horária Semanal Nº. de Créditos C. H.  Global Período
Teórica Prática
INT 0049 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ENSINO DE EXPRESSÃO GRÁFICA 1 30 60 4 90

Pré-requisitos
  • METODOLOGIA DO ENSINO DA EXPRESSÃO GRÁFICA - GEOMETRIA
Co-Requisitos Requisitos C.H. 0

EMENTA

Estágio supervisionado de observação das diversas dimensões da dinâmica escolar nos nível de ensino fundamental e médio, incluindo a análise do projeto político-pedagógico, dos seus profissionais, das relações sociais na escola, das condições de exercício do trabalho educativo, dos resultados escolares, da história da instituição escolar e da sua função social.

Análise da organização e do funcionamento da escola e da sala de aula, focando a intervenção pedagógica que se realiza a partir do grupo classe, da proposta curricular, dos programas, dos planos, do projeto didático, das situações de ensino, de avaliação e de seleção/preparação de material didático.

Estudo da avaliação entendida como vivência e análise dos resultados individuais e coletivos em sala de aula e como prática coletiva no Conselho de Classe.

OBJETIVO (S)  DO COMPONENTE

Propiciar reflexões a partir da vivência no campo de estágio para que o licenciando desenvolva capacidade de:

  1. Conhecer e aplicar os principais métodos e princípios da pesquisa educacional;
  2. Discutir a respeito da formação do professor de Geometria Gráfica e aplicações: perfil, papel social, saberes e competências necessárias ao exercício profissional;
  3. Pesquisar e refletir sobre diferentes aspectos da docência: identidade profissional, condições do exercício da profissão, posição do professor no conjunto das ações da escola, etc.;
  4. Conhecer os vários espaços de atuação profissional do professor de Geometria Gráfica e aplicações;
  5. Elaborar diagnósticos da escola e do grupo classe;
  6. Interpretar indicadores acadêmicos da unidade escolar;
  7. Conhecer os diferentes mecanismos de gestão escolar;
  8. Conhecer e apreciar o projeto político pedagógico da escola;
  9. Analisar criticamente práticas de ensino da Geometria Gráfica e aplicações: concepções de Geometria Gráfica, de aprendizagem e de ensino subjacentes, formas de estruturação do trabalho pedagógico em sala de aula, seleção e organização dos conteúdos de Geometria e desenho, relações entre professor e alunos, papel da resolução de problemas, gestão dos erros dos alunos, recursos didáticos utilizados, etc.;
  10. Refletir sobre as relações entre as práticas de ensino e as condições de aprendizagem da Geometria Gráfica e aplicações.
     

METODOLOGIA

Nas aulas serão vivenciadas diferentes metodologias, experiências e técnicas de ensino, tais como: exposição dialogada; seminário; leitura e discussão de textos; debate / discussão dirigida; apresentação e discussão de filmes; análise de situações pedagógicas vivenciadas no campo de estágio; análise de produções de alunos; entrevistas; análise documental; palestras; visitas orientadas; relatos de experiência; outras.

AVALIAÇÃO

A avaliação será baseada nos trabalhos a serem apresentados, entre os quais podem figurar: provas escritas; seminários; oficinas; trabalhos escritos individuais e em grupo; relatórios de estágio; outros.
 

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

  1. A escola e as diversas dimensões da prática escolar e educativa: função social e finalidades educativas da escola; estrutura física e administrativa da escola; perfil do professorado; perfil do alunado; indicadores acadêmicos; mecanismos de gestão escolar; relações escola x família e escola x comunidade; projeto político-pedagógico; cotidiano, rotina e cultura escolar;
  2. Interações sociais em situação de ensino-aprendizagem (relação professor-aluno); práticas facilitadoras e dificultadoras da aprendizagem; disciplina, autoridade e relações simbólicas e de poder na sala de aula;
  3. Formação e profissionalização docente; aspectos identitários da profissão docente; condições do exercício profissional do professor do conteúdo de Geometria Gráfica nos estabelecimentos de ensino; inserção do professor no conjunto das atividades da escola e da rede de ensino; papel e responsabilidades do professor; problemáticas contemporâneas do trabalho docente;
  4. A Geometria Gráfica escolar em diversos contextos educacionais (escolas públicas estaduais e municipais, escolas privadas, comunitárias, ensino médio, fundamental, ensino técnico, ensino supletivo, educação de jovens e adultos, educação especial, etc.); organização curricular vigente em diversas instituições; análise de materiais didáticos, tais como livros-didáticos, para-didáticos, jogos matemáticos, etc.; observação e análise crítica de atividades de ensino e aprendizagem de Geometria Gráfica.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

1. ALVES, Nilda; MOREIRA, Flávio Barbosa (Org.). Formação de professores: pensar e fazer. São Paulo: Cortez, 1992.

2. ANDRÉ, M. E. D. Etnografia da prática escolar. Campinas, SP: Papirus, 2005.

3. BICUDO, M. A V. Pesquisa em Educação Matemática: concepções e perspectivas. São Paulo: Ed. UNESP, 1999.

4. BRASIL, DPEM/SEB/MEC. Orientações Curriculares do Ensino Médio. Brasília: DPEM/SEB/MEC, 2004.

5. BRASIL, INEP/MEC. Matrizes Curriculares do SAEB. Brasília: INEP/MEC, 2000.

6. BRASIL, SEF/MEC. Guia de livros didáticos do Ensino Médio (PNELEM 2005), Matemática. Brasília: SEF/MEC, 2004.

7. BRASIL. SEF/MEC.Guia de livros didáticos: 5ª a 8ª séries (PNLD 2005), caderno de Matemática. Brasília: SEF/MEC, 2004.

8. BRASIL. SEF/MEC. Parâmetros curriculares nacionais + (PCNs +): Matemática. Brasília: SEF/MEC, 2000.

9. BRASIL. SEF/MEC. Parâmetroscurriculares nacionais: Matemática – 5a a 8a série. Brasília: SEF/MEC, 1998.

10. BRASIL. SEMTEC/MEC. Parâmetros curriculares nacionais do ensino médio: parte I. Brasília: SEMTEC/MEC, 1998.

11. CAMPOS, T.; NUNES, T. Tendências atuais do ensino e aprendizagem da matemática. Ano 14, n.62, abr/jun. Brasília: INEP, 1994.

12. CANDAU, V. M. (Org.). Reinventar a escola. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

13. HERNÁNDEZ, F.; VENTURA, M. A organização do currículo por projetos de trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. 5.ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

1. AQUINO, Júlio Groppa (Org.). Erro e fracasso na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1997.

2. BENJAMIN, Walter. Reflexão: a criança, o brinquedo, a educação. São Paulo: Ed. 34, 2002.

3. BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 1981.

4. Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Arte. Brasília: MEC/ SEF. 199.

5. BRZEZINSKI, Iria (Org.). LDB interpretada: diversos olhares se entrecruzam. São Paulo: Cortez, 2005.

6. CARRAHER, Terezinha Nunes; SCHLIEMANN, Analúcia; CARRAHER, David William. Na vida dez, na escola zero. São Paulo: Cortez, 2010.

7. DELVAL, Juan. Aprender na vida e aprender na escola. Porto Alegre: Artmed, 2001.

8. FAZENDA, Ivani Catarina Arantes (Org.). Didática e interdisciplinaridade. Campinas, SP: Papirus, 2005.


DEPARTAMENTO A QUE PERTENCE O COMPONENTE HOMOLOGADO PELO COLEGIADO DE CURSO
Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino Licenciatura em Expressão Gráfica



ASSINATURA DO CHEFE DO DEPARTAMENTO ASSINATURA DO COORDENADOR DO CURSO

Estágio Supervisionado